Paisagismo na Zona Sul


Paisagismo na Zona Sul

Projeto de Paisagismo na Zona Sul é com a Toke Verde!

O objetivo principal do Paisagismo na Zona Sul é promover o contato do homem com a Natureza e apesar de surpreendente, muitos paulistanos continuam vivendo em contato com a terra. E outros tantos se sustentam com o que plantam e colhem nos espaços ainda não colonizados pelo asfalto. Parelheiros e São Mateus podem ser vistos como espaços de resistência agrícola em São Paulo, mas há outras frentes de batalha no ataque – e estas se localizam nas áreas mais centrais da cidade, onde a disputa contra o concreto é mais evidente.

Embora não pareça, falar em agricultura dentro da maior metrópole da América do Sul é cada vez menos um paradoxo. De acordo com levantamento da prefeitura, há mais de mil pequenos produtores rurais dentro dos limites de São Paulo. A esmagadora maioria se concentra no distrito de Parelheiros, extremo da zona sul. “Lá tem sido historicamente o cinturão verde da cidade”, lembra Tiago Janela, diretor do Departamento municipal de Agricultura e Abastecimento. “É um lugar que continua guardando muitas características do campo.”

De fato, as regiões agrícolas de Parelheiros nem parecem cidade. As ruas são de terra e há árvores por todos os lados. O lugar é cortado por duas áreas de proteção ambiental e ladeada pelas represas Billings e Guarapiranga. Por ali, cultivar hortaliças e plantas ornamentais é coisa séria: a atividade alimenta famílias, abastece feiras nos bairros mais próximos, cria renda e empregos e evita que as reservas ecológicas deem lugar a condomínios de luxo. “Além de produzir alimentos, a agricultura é uma estratégia do poder público para conservar os mananciais que abastecem os reservatórios de água da cidade”.

Paisagismo na Zona Sul conta também, com aproximados 3 milhões de m² em área urbana, destinados á áreas livres em praças públicas desempenhando importante papel ambiental e social, na qualidade de vida da população da região .

Outra forma de se conceituar o Paisagismo na Zona Sul são as áreas livres das edificações e como expressivo exemplo temos o conjunto Brascan Century Plaza, no Itaim Bibi. O grande jardim – que ocupa praticamente toda a área livre do térreo e dá acesso às lojas, cafés e cinemas –conta com espelho d’água, vegetação e escultura em madeira de Elisa Brancher.

Mais um importante exemplo de Paisagismo na Zona Sul é a quadra aberta do Centro Empresarial Itaú, que trata-se de um empreendimento parceria-público-privado, onde houve a conciliação dos interesses públicos na implantação da estação da linha norte-sul do metrô e os interesses privados do Banco Itaú. O convênio entre o grupo Itaú e a Prefeitura obteve um carater de utilidade urbana e ambiental, onde galerias e passagens particulares, na conectividade do trânsito de pedestres são uma extensão das calçadas e ruas. O ponto em comum deste projeto foi a grande admiração dos arquitetos por Oscar Niemeiyer, o que aparece de forma clara em todo o desenho do embasamento, desde as lajes curvas e a solução do Paisagismo na Zona Sul, até a escolha do grande painel de Sérgio Camargo.

Paisagismo na Zona Sul, integra alguns importantes parques, entre eles, o Parque Alfredo Volpi, anteriormente denominado Parque do Morumbi, que foi criado visando a preservação ambiental de uma área remanescente de mata original do Planalto Paulista (Atlântica). Este projeto de Paisagismo na Zona Sul, foi elaborado por Rosa Grena Kliass com a colaboração do arquiteto Carlos Welker e do botânico Helmut Schilk, responsável pelo levantamento florístico da área. Seu nome atual Alfredo Volpi é uma homenagem a um dos mais conceituados pintores brasileiros. É o parque com a maior biodiversidade em zona urbana da cidade de S. Paulo. Outra inestimada contribuição para oPaisagismo na Zona Sul é o Parque Burle Marx, inaugurado em 29 de Setembro de 1995. No Local há um conjunto de edificações projetadas por Oscar Niemeyer, na década de 50. Complementando a obra, Burle Marx implantou o que é hoje este importante Paisagismo na Zona Sul, com espécies vegetais nativas da Mata Atlântica, espelhos d’água e painéis de concreto.

A função dos parques está relacionada diretamente com a qualidade de vida da população no entorno e, em alguns casos, a preservação ambiental. Outro exemplo de Paisagismo na zona sul, como parque urbano, é o Parque do Ibirapuera, criado em 1954 e tombado como patrimônio histórico e cultural da cidade.

A variedade de obras de Paisagismo na Zona Sul é muito grande podendo ser, desde jardins residenciais unifamiliares, jardins de edifícios e condomínios residenciais, comerciais, escritórios, indústrias, hotéis, áreas turísticas, arborização urbana, praças, rodovias, ferrovias, até parques nacionais e áreas de preservação.

Para o conjunto de áreas verdes e espaços de lazer, a UNESCO indica 12m² por habitante, porém no Brasil, a única cidade que alcança este índice e até ultrapassa é Curitiba.

+ Não existem comentários

Deixe o seu